30 . Jul . 2014 |

Como ter uma faculdade financiada?

Autor:

|

30 de novembro de 2012

|

Publicado em:

Como ter uma faculdade financiada?

Muitas pessoas tem o sonho de completar um curso superior, mas não conseguem atingir o objetivo pelas diversas dificuldades encontradas no meio do caminho. Para ingressar em uma faculdade pública, a barreira é conseguir passar no vestibular concorrido. A faculdade privada, embora normalmente ofereça menos rigor no processo seletivo, vem com a dificuldade de manter as mensalidades em dia. Mas, se você não sabe, diversas empresas tem investido na capacitação profissional de seus funcionários.

Algumas empresas como a Motorola, Votorantim e Cultura Inglesa pagam uma parte dos estudos de quem já está na instituição e oferece perspectiva de crescimento. É claro que o investimento ainda não vale para todas as empresas, mas se você tem a felicidade de ser contratado por alguma delas, deve aproveitar a oportunidade. As multinacionais já reconhecem profissionais com potencial e o melhor caminho é investir no crescimento contínuo desses trabalhadores, pois são eles que vão oferecer retorno.

Algumas instituições oferecem uma bolsa e outras oferecem uma ajuda de custo, que pode variar bastante. Mas qualquer ajuda é bem vinda, não é mesmo? Essa é uma forma da empresa investir na capacitação da mão de obra qualificada, motivando o profissional e oferecendo um incentivo para que avance na carreira dentro da própria organização.

Se a empresa em que você trabalha não oferece auxílio, nada impede que tudo seja conversado. A ideia de propor um acordo baseado nas vantagens que um curso superior oferece pode ser um bom começo, pois assim o gestor fica ciente da forma com que a sua capacitação profissional vai melhorar o desempenho de suas funções; e assim acarretar benefícios para a própria instituição.
E claro, você deve deixar claro que a empresa sai ganhando também.

Uma boa ideia é firmar o compromisso de permanecer por um período determinado depois do término do curso, pois assim a graduação pode ser considerada um investimento. Até mesmo porque, o grande número de desistências e profissionais que abandonam o emprego após a formação desestimulam que essa prática seja adotada.

É importante que o profissional reconheça também o esforço e a garra que a dupla jornada demanda. A rotina de trabalhar durante todo o dia e ainda estar cursar uma graduação depois, com todas as tarefas extras como trabalhos e provas, exige um comprometimento e muita força de vontade. Ou seja, antes de fazer a proposta e aderir a ideia é importante se planejar, ver a melhor época para começar, procurar uma instituição que ofereça menos dificuldade de locomoção e qualquer facilidade possível. Enfim, tudo deve ser planejado para que a prática seja viável e o mais leve possível.

Se mesmo com a ajuda da empresa, o pagamento da faculdade ficar apertado, existem outros mecanismos de ajuda. Um exemplo é o FIES, conhecido como Financiamento Estudantil. Muitos profissionais que tem o desejo de estudar podem pedir o auxílio do FIES e montar uma estratégia para o pagamento da faculdade, que pode ser feita até mesmo depois da conclusão do curso. As taxas de juros ficam em torno de 3-4% ao ano, o que torna o financiamento viável.

Existe também a possibilidade de solicitar uma bolsa no PROUNI (Programa Universidade para Todos), que faz concessão de bolsas parciais e totais. A regra para definir a bolsa é a renda familiar, e o programa auxilia muito o período de capacitação.
Agora que você já tem conhecimento sobre algumas alternativas, sabe que, com planejamento, é possível completar uma graduação.
Ter um curso superior é fundamental nos dias de hoje, e funciona como um primeiro passo na corrida por capacitação profissional. Com força de vontade e muito trabalho, é possível dar a largada. Boa sorte!

Escrito por:

Via6 P. Rede Social Profissional

Relacionados

Como as férias podem ajudar na carreira
Confira 35 dicas geniais para viajantes
Inchaço nas pernas em viagens pode ser evitado com movimentação das pernas

Sobre o autor

Editor1

Comente esta matéria

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>